NÍVEIS NEUROLÓGICOS

Representaremos aqui os Níveis Neurológicos através da Pirâmide do Processo Evolutivo. Originalmente desenvolvido por Robert Dilts e posteriormente acrescentado o nível de Afiliação por Bernd Isert é uma valiosa ferramenta para organizar o nosso pensamento, a coleta de informações e, com isso a própria comunicação.

Num processo de Coaching, por exemplo, podemos usar este modelo para identificar em qual nível o cliente se encontra em cada sessão, bem como para nos nortearmos como Coach e elevar o cliente sempre a um nível mais elevado.

Os níveis neurológicos não são uma hierarquia. Todos se conectam entre si e todos influenciam uns aos outros. Os níveis mais inferiores são afetados pelos níveis mais superiores. São úteis para o estabelecimento de objetivos e resultados. Você pode especificar resultados por:

  • Tipo de ambiente que deseja;
  • Como deseja agir;
  • Habilidades que deseja adquirir;
  • Atitude e crenças que deseja adotar;
  • Tipo de pessoa que deseja ser;
  • A quais grupos deseja pertencer, dentre outros.

AMBIENTE

O nível do AMBIENTE refere-se ao ambiente externo. O lugar, o momento e as pessoas envolvidas. Pode ter sucesso somente em circunstâncias específicas ou com pessoas em particular – “estar no lugar certo no momento certo”. Também é formado por coisas como a localização geográfica, os prédios e instalações que definem o “local de trabalho”, o design do escritório e da fábrica.

Podemos também examinar a influência e o impacto que as pessoas do sistema do cliente podem exercer sobre o ambiente, não só a influência que esses fatores ambientais exercem sobre as pessoas.

A relação ativa ou passiva entre indivíduo e ambiente pode variar consideravelmente, em maior ou menor grau, dependendo do nível evolutivo, dos fatores externos existem no momento, do estado emocional do indivíduo, dentre outros fatores.

Neste nível podemos trabalhar com as oportunidades ou limites que o ambiente oferece, utilizando em benefício do processo de Coaching.

COMPORTAMENTO

No nível de COMPORTAMENTO o Coach pode perceber, através da linguagem do cliente, que é composto pelas palavras e ações que buscam realizar o desejado.

É o campo de atuação de feedback.

É o que fazemos. Inclui pensamentos além de ações. Às vezes é difícil de mudar por estar ligados a outros níveis. Muitos aprendem modelos fracos e incompetentes de comportamentos. Alguns conseguem bom discernimento para aprender comportamentos de qualidade e de alto desempenho.

O segundo nível é o do Comportamento, este se refere às ações e reações do cliente. Neste nível podemos observar quais ações e reações específicas a determinadas situações. Podemos observar quais padrões existem, positivos ou negativos, e entendendo porque o cliente age como age podemos auxilia-lo ao processo de mudança, bem como no alcance de um objetivo específico.

CAPACIDADES E HABILIDADES

 

No terceiro nível do processo evolutivo estão as CAPACIDADES E HABILIDADES, pelas quais o cliente dirige as ações dentro de seu ambiente.

A capacidade é a maneira de aplicar o conhecimento e gerar ações e comportamentos para alcançar uma meta. Este nível inclui tanto estratégias de pensamento quanto habilidades físicas.

O nível das capacidades e habilidades controla nossos comportamentos verbais e não-verbais, e podemos identificá-lo e explorá-lo, quando a comunicação se concentra na maneira de fazer a coisa.

As capacidades nos permite agir de várias maneiras diferentes (comportamento), até a materialização de nossa missão de vida. Essa congruência é o próprio equilíbrio interior.

As capacidades incluem estratégias cognitivas e habilidades tais como: aprendizado, tomada de decisão, memória e criatividade, que facilitam o desempenho de um determinado comportamento. “É o Como fazer?”. “Quais habilidades e competências o Coachee possui?” Podendo serem desenvolvidas novas habilidades e competências para alcançar as metas.

Desenvolver novas habilidades como a gratidão transforma sua vida financeira e como a gratidão transforma qualquer área da sua vida, padrões, novas possibilidades, novas estratégias cognitivas e bem como novos resultados.

CRENÇAS E VALORES

O quarto nível no processo é formado por CRENÇAS E VALORES, que fornecem a motivação e por detrás das estratégias e capacidades usadas para atingir os resultados do comportamento no ambiente. O que é importante pra cada cliente? Em que ele acredita? O que aprendeu? O sistema de crenças e valores que permite ou não o cliente fazer as coisas do modo que faz.

Crenças e Valores dão suporte ao senso de identidade dos indivíduos e da organização.

Neste nível o Coach pode perceber, por exemplo, crenças limitantes do cliente e trabalhar na desmistificação da crença. Bem como pode identificar crenças possibilitadoras e utilizá-las sempre que necessário a fim de motivar o cliente.

As crenças determinam o “por quê?”, o motivo de você fazer uma determinada ação. É a melhor intenção que está por trás de seus comportamentos. Os valores determinam o foco, a prioridade das ações que você irá investir. São porque fazemos o que fazemos.

Valores e crenças vão lhe dar, ou não, a perMISSÃO para a realização da sua missão. Eles determinam se você irá ou não realizar o que quer.

Uma conversa sobre o “porquê” das coisas caracteriza, portanto, uma conversa do nível de crenças pessoais.

Henry Ford dizia: “Se você acreditar que você consegue ou que você não consegue, em ambos os casos você estará absolutamente certo.”

Bons treinamentos procuram envolver, desde o início, “a mente e o coração” doas participantes, alinhando-os consistente e estrategicamente com o sistema de crenças dessas pessoas antes de capacitá-las efetivamente.

Devemos ter em mente que somo nós quem escolhemos as crenças. O segredo está na escolha, pois elas podem tanto nos limitar como nos jogar para frente.

Valores normalmente são abstratos, como, por exemplo, amor, lealdade, sinceridade, verdade, companheirismo, diversão, saúde, respeito, segurança, amizade, ajuda mútua, honestidade etc. O que é um valor para um cliente pode não ser pra outro, ou para o Coach, mas como Coachs, não devemos julgar.

IDENTIDADE

O quinto nível é o nível de IDENTIDADE. É o senso de si mesmo. Nós nos expressamos através de nossas crenças e valores, comportamentos e habilidades, mas somos mais do que todos ou do que qualquer um desses.

Quando dizemos “Você é…” ou “Eu sou…”, estamos procurando apresentar nossa essência, nosso Eu verdadeiro.

O conjunto das crenças forma nossa identidade, tudo o que somos.

A busca pela real identidade real é filosófica e espiritual. Nesse nível, a principal característica que deve ser definida é a sua Missão de Vida. A busca pelo “Quem sou?” significa também “Qual o propósito de minha existência?” “Existe algum significado no que eu faço e em quem eu sou?”

Está diretamente ligado a nossa missão que nos move a tornar a melhor pessoa que podemos ser.

Quem eu sou? Qual minha missão na vida? Qual o motivo da minha existência? Qual o valor que tem minha história?

AFILIAÇÃO

 

O sexto nível, AFILIAÇÃO, foi introduzido por Bernd Isert  (autor, consultor, Master Trainer em PNL e Master Coach Trainer, Constelador e Cinesiologista), com o devido aval do Robert Dilts. No sexto nível, as perguntas mais significativas são: O que mais posso fazer para contribuir com todos a minha volta? Como me sinto fazendo parte deste grupo? E se não faço parte, como me sinto? Por que é importante eu fazer parte? Por que ou quando não consigo fazer parte? Espontaneamente o foco passará a ser sistêmico, no coletivo. As pessoas agem bem no coletivo se possuem valores, metas e/ou propósito em comum.

Qual meu papel na minha equipe? O quanto eu sou importante em determinado grupo? O cliente pode ter uma afiliação mais saudável com os outros a partir de uma identidade sólida e consciente, onde é importante tanto o senso do EU quanto o pensar como grupo.

LEGADO

Enfim o sétimo nível é o LEGADO está ligado ao senso de significado da vida, a uma visão maior e em fazer o bem comum ao coletivo. O que quero deixar como contribuição para a sociedade onde vivo? Qual minha relação com o universo? Há um nível de responsabilidade social, de ética, e de conexão com algo maior que permeia a todos. Em todos os níveis o Coach precisa respeitar as crenças do Coachee. Este nível em especial, envolve espiritualidade (não confundir com nenhum tipo de religião). E deve-se ter bastante cuidado.

Mais efetivas e duradouras serão as mudanças, quando o aprendizado acontece nos níveis mais elevados da pirâmide do processo evolutivo, As mudanças em níveis mais altos como o da Identidade, Afiliação e Espiritualidade ocorrem em nível inconsciente e trazem transformações em todos os outros níveis.

Quando o cliente tem uma visão mais ampla de si mesmo e do universo, tem maior facilidade de ressignificar ambientes e experiências, mudar comportamentos e desenvolver novas habilidades e estratégias.

Os níveis neurológicos são interdependentes, um é influenciado pelo outro. Por exemplo você pode ter uma habilidade intrísceca relacionada com o poder de oração, e isso pode estar intimamente ligado com o seu nível de crenças, quer dizer você acredita nessa sua habilidade. Lembrando que crenças aqui não tem relação apenas com crenças religiosas. Ou por exemplo, você pode ter um comportamento que é diretamente relacionado com o grupo em que você está inserido, ou seja a sua afiliação.

Confira esse vído do IBC – Instituto Brasileiro de Coaching

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *